quinta-feira, 28 de maio de 2015

2 dias – 1 único mistério!

Neste ano de 2015, o dia 5 de junho segue ao dia 4 de junho! Atrás desta lógica cronológica esconde-se outra maior: estes dois dias contemplam um único mistério! A solenidade de Corpus Christi, dia 4, está em estreita ligação com o dia 5 que é o Dia Mundial do Meio Ambiente, ou Dia da Ecologia. Você já se deu conta que o Corpus Christi Eucarístico é o mesmo Corpus Christi Cosmológico? Não há nenhuma diferença ou distinção: “Tudo foi criado por mim e para mim, tanto as coisas celestes como as terrestres e...quis pacificá-las pelo meu sangue na cruz”, diz o hino cristológico na carta aos Colossenses (cf. Cl 1,16.20).

Portanto, quem acredita na presença real do Filho de Deus no pão eucarístico deveria também acreditar na presença real de Cristo (Rei) do universo dentro do qual o planeta terra, embora seja uma minúscula partícula, é o nosso habitat, o meio ambiente que como o útero materno gera toda a vida.

Então, os fiéis que testemunham nas ruas da cidade através da solene procissão de Corpo de Cristo a maravilha da transubstanciação do Corpo e Sangue de Cristo, poderiam também testemunhar sua fé em Deus presente na criação e nas criaturas: “Todo ser que respira louve o Senhor!” (o último versículo do último salmo). 

Portanto, dia 4 de junho, no final da procissão não deveria faltar um gesto concreto e uma palavra forte que fizesse a ligação com o dia seguinte, 5 de junho. 
Se cada procissão – melhor seria cada adorador de Cristo na Eucaristia – plantasse uma árvore (frutífera), a mudança climática poderia ser desacelerada um pouquinho e a próxima crise hídrica prevenida!

Textos para refletir mais:
        “A Eucaristia é o culto do céu aberto. Eucaristia significa entrar no público da glória de Deus que abrange o céu e a terra e que foi aberta pela cruz e ressurreição. O culto divino orientado pelo Logos espera a consumação do cosmo. A Liturgia reta se reconhece por ser cósmica e não grupal. Ela conta com os anjos. Ela é silenciosa com as profundezas do universo que espera. E assim ela redime a terra. Na sua relação fundamental com o cosmo revela-se outra vez a relevância imensurável e única da Eucaristia” (Papa Bento XVI).

       “Esperamos que os cristãos reconheçam que a natureza é o livro aberto de Deus, onde ele nos comunica o seu amor, confirma a sua grandeza e beleza” (Victor Silva, um jovem da OFS em Capanema-Pará).

    “Toda ceia eucarística tem sabor cósmico. Quem não vive ecologicamente, ambientalmente, universalmente desconhece boa parte do sabor sublime do Corpo todo de Christi! Portanto, a communio eucarística não se restringe à Igreja, ao altar, mas se estenderá ao altar da communio universal, e vice-versa.” (frei Johannes Gierse).

Quando o Filho do Homem vier na sua glória, e isso acontecerá em breve, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará os cuidadores dos destruidores. E colocará os cuidadores à sua direita, e os destruidores à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Venham vocês, que são abençoados por meu Pai. Recebam como herança o Reino que meu Pai lhes preparou desde a criação do mundo. Pois

eu criei o irmão Sol, e vocês captaram minha energia fotovoltaica;
eu criei a irmã Lua e as irmãs Estrelas, e vocês observaram as estações e os ritmos da vida;
eu criei o irmão Ar, o Vento, e vocês captaram sua energia eólica e andaram de bicicleta;
eu criei a irmã Água dos rios e riachos, dos mares e oceanos, e vocês preservaram seus mananciais;
eu criei o irmão Fogo, e vocês usaram com prudência seu potencial energético;
eu criei a irmã a mãe Terra, e vocês cuidaram da sua biodiversidade e cultivaram a agricultura familiar;
eu criei as irmãs Florestas e matas, e vocês cuidaram que a Amazônia ficasse em pé”.

Então os justos lhe perguntarão: “Senhor, quando foi que te vimos no irmão Sol, na irmã Lua, no irmão Vento, na irmã Água, no irmão Fogo, na irmã a mãe Terra e nas irmãs Florestas e nós te servimos”? Então o Rei lhes responderá: “Eu garanto a vocês: todas as vezes que vocês fizeram isso a uma das menores de minhas criaturas, foi a mim que o fizeram; pois ‘tudo foi criado por mim e para mim, tanto as coisas celestes como as terrestres e...quis pacificá-las pelo meu sangue na cruz’” (cf. Cl 1,16.20). 

Por Frei Johannes Gierse

Nenhum comentário:

Postar um comentário